A dependência química e reabilitação

 

dependência química

A dependência química é uma doença cujos diversos fatores  alteram a consciência e provocam efeitos graves, alterando o bem estar físico, emocional e social do dependente.
Definidas como  substâncias químicas capazes de modificar a função de organismos vivos, a dependência química provoca  mudanças fisiológicas , comportamental e, assim,  altera a  função biológica e as demais.  A dependência química em seu  processo de reabilitação envolve , comprometimento, determinação e  bastante persistência. Não é fácil.
Sabemos que a  dependência química ao envolver os fatores biopsicossociais, precisa de tratamento intensivo. Tratamento esse realizado a partir de terapias, esportes, atividades em grupo, atividades físicas, tudo isso possui evidente valor no processo de recuperação.
Pesquisas indicam que a dependência química, na grande maioria das vezes, começa com o uso na adolescência, nesta fase, tais adolescentes, na busca pela identificação, estão mais expostos a frustrações e mais vulneráveis a influências que, quando não solucionadas, continuam no adulto, usando a dependência química para suprir necessidades afeto-sociais, fuga de  problemas e  responsabilidades que a fase adulta traz.
A dependência química tende a aumentar cada vez mais para satisfazer as necessidades levando o dependente químico à  destruição da família, autodestruição e de todos que vivem ao seu redor, que o amam.
Sendo assim, quando o dependente químico decide procurar por ajuda para se curar de a dependência química, chega ao local de reabilitação emocionalmente debilitado, apresentando:  irritabilidade, agressividade, mentiras, diminuição dos cuidados básicos até mesmo de higiene, incluindo, perda de valores, depressão, síndrome do pânico, esquizofrenia, entre outras, precisando neste momento de toda atenção e acolhimento.

Fator de suma importância, no tratamento de a dependência química, é em relação ao bem estar do interno, que conseguindo estar bem consigo mesmo, resgata a autoconfiança obtendo  êxito para sua recuperação,  aceitando sua condição própria,  provocando desejos de mudança e de libertação, conduzindo- o a deixar o vício.

Confiança é necessária, bem como  oferecer uma gama de atividades que ele consiga se “reabilitar”e  melhorar suas capacidades mentais no que se refere à vida, aprendizagem, trabalho, socialização e adaptação de forma mais normalizada possível.

Dependência química – A família é importante.

A importância da família é  relevante  no processo de recuperação de a dependência química, e a grande vontade do interno, em ajudar outras pessoas envolvidas. Outro fator de destaque é a presente importância para o tratamento  de ex-usuários nos momentos de estudos e de palestras.  Mostrando que há entre eles um tratamento respeitoso. Apesar de todas as dificuldades, deve-se busca proporcionar e transformar o espaço em um lugar harmonioso e de paz com atividades as quais possam se sentirem capacitados, importantes e valorizados, resgatando  a autoestima e autoconfiança  abaladas ao ingressarem nesse mundo de ilusão das drogas. Tratar o dependente é levá-lo a recomeçar a gostar de si mesmo, é valorizar a vida, pois quando mudamos a nós próprios, ao mesmo tempo mudamos o mundo, bem como nosso posicionamento social. Assim como nos mostra Guimarães Rosa: “O importante e bonito do mundo é isso: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas, mas que elas vão sempre mudando. Afinam e desafinam.”

Leave a Reply

Facebook